sexta-feira, 25 de maio de 2012

Eu e a Marcha

Não sou lá a pessoa mais feminista do mundo, acho que não devemos nos separar por gênero, e sim nos unir pelas reivindicações, mas não deixa de ser super válido o movimento que de um ano pra cá tem tido muito espaço na mídia e nas rodinhas de conversa sobre o feminismo por aí: a Marcha das Vadias.
Muita gente critica sem ao menos saber do que se trata o movimento e suas reivindicações. O nome da Marcha veio em resposta a um policial que disse que para evitar estupros a mulher não deveria se vestir como uma "vadia", o que é repugnante porque culpar a mulher por ser estuprada é um dos piores absurdos que eu já ouvi falar. Em muitos aspectos a mulher é tratada como objeto, publicizando-as como se fossem apenas para o prazer do homem ou com tarefas que a sociedade impôs que é da mulher como cuidar dos filhos ou cuidar da casa. Ou então querer proibir a mulher da mostrar o seio para AMAMENTAR SEU FILHO EM LOCAIS PÚBLICOS.
O mesmo país que coloca suas mulheres para ficarem peladas sambando no carnaval, quer proibir as mães de amamentarem seus filhos? Oi?
São muitos paradigmas que foram construídos durantes séculos que devem ser quebrados e destruídos agora e muitos outros que não se ouvia falar e agora geram polêmica ao redor deles. E é ótimo que esteja tendo tantas mobilizações sociais defendendo causas tão justas, umas delas é o Mamaço que aconteceu em várias cidades do país defendendo o direito de amamentar em público, que tem todo meu apoio, assim como a Marcha das Vadias. E indico que visitem o blog da Marcha e leiam o Manifesto 2012, que eu, particularmente achei muito bom: blog da Marcha das Vadias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário